terça-feira, 25 de outubro de 2011

A pequenez sendo mostrada.


Condenem-me se quiserem. A História me absolverá”. Esta frase tomo emprestado de Fidel Castro, um verdadeiro revolucionário que foi, antes de se empolgar com o poder e tornar-se um ditador. O motivo de usar esta frase é que quando eu fiz uma analise sobre o PT em SIP, mostrando suas facções, sua pequenez política, sua falta de coordenação e expressão política “pois mesmo elegendo um vereador e o vice-prefeito que não conseguiram atuar nem como situação, muito menos como oposição”, fui alvo de críticas durissímas de blogueiros, de autoridades petistas e de militantes.
No artigo mostrei o isolamento das lideranças locais em relação aos líderes estaduais do partido. Agora vejo no blog do Bruno Marques uma avaliação a respeito dos conflitos internos que acabaram por minar o PT no município.
Líderes desprestigiados pelo PT municipal e estadual como o competente Tinoco, hoje no PP.
Lideranças oportunistas que vieram para o PT quando lhes foi conveniente e agora abandonam a sigla, que mostram como a ideologia é mercantilizada em troca de cargos, indicações e prestígios. Funciona mais ou menos assim: se eu posso indicar temporários sou uma liderança. Se outros líderes surgem, meu prestigio cai.
O Bruno também fala de caciques estaduais e reféns municipais. Quase fico surpreendido.
Pois bem, são fatos que não foram expostos por mim diretamente, mas que comprovam o que já foi dito: não adianta pousar de defensor da moral e dos bons costumes políticos e possui uma legenda posta a disposição de quem não conhece o valor do vermelho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário