terça-feira, 25 de outubro de 2011

De um tempo que está por vir - Paulo Fonteles

Ontem tive o grato prazer de conhecer os poemas de Paulo Fonteles, quando descobri seu livro de poemas, então reproduzo aqui um dos poemas do saudoso líder do povo paraense assassinado pelos latifundiários.

De um tempo que está por vir

Precisão de uma noticia
Ou de um gole de cachaça.
Mas a noticia não vem
E a cachaça queima a garganta.
Hibernar não posso
Que a ciência não chegou a tanto.

Preciso de uma boa noticia,
Que fale dos cabelos da mulher
Vindo para se enroscar na minha cama
E apagar a solidão.

Chega de prisões!
Cantos de tortura e alimento de abutres!
Não precisamos de heróis chorando
E morrendo nos calabouços!

Preciso de uma boa noticia
De um tempo que esta por vir,
De uma noite de luta, estrelada,
Derramando-se sobre um mundo de paz.

A matinta-pereira já se foi.
A curupira nunca mais atacou ninguém.
Todas as assombrações foram enterradas.
Homens, mulheres e crianças já podem entrar no mato
Sem medo.

                                                Por Paulo Fonteles

Nenhum comentário:

Postar um comentário