sexta-feira, 5 de agosto de 2016

O rascunho politico das eleições 2016 ganha cores e forma!!!


O desenho da eleições municipais está cada vez mais deixando de ser um rascunho e passa a ter cores e formas definidas.

E acredito que será um desenho que mostrará uma nova cidade em seus aspectos políticos.

Estas eleições vão mostrar que deixamos de ser uma cidade provinciana e estamos adentrando na Região Metropolitana também politicamente.

A mobilização dos candidatos - no lançamento da pré-candidatura (pra quem fez) e agora nas convenções - mostra que os grupos estão focados no propósito eleitoral.

Há de se avaliar as forças de três candidatos, o prefeito atual que busca a releição, e os dois candidatos derrotados na ultima eleição ( Padrinho e Afilhado) que por não se sabe porque cargas de´águas agora estão em lados opostos.

Porém não se pode deixar de considerar a(s) candidatura (s) sem tanta mobilização popular mas que podem ser o diferencial uma vez que vai agregar votos disputadíssimos pelos ditos grandes.

O que a população espera - creio eu - é que tenhamos uma campanha limpa, sem baixarias, sem difamações....democrática de fato e de direito.

Neste blog teremos a oportunidade de expor e debater opiniões.

Agradeço aos leitores que contribuem com idéias e debates.

abraços.




quinta-feira, 9 de junho de 2016

Invasão de escola provoca acidente.


Até onde pode ir o desespero, a arrogância e o desconhecimento de sua função enquanto agente politico (servidor público)? Alguém precisa definir estes limites para um bisonho vereador que na manhã de hoje invadiu uma escola – invadiu pois entrou sem autorização e sem se identificar – no afã de realizar uma tal filmagem, não se sabe ainda o porquê.

Ao perceber que estava sendo observado por alunos e funcionários da escola, o mesmo, inadvertidamente saiu em disparada o que provocou o choque entre seu veiculo com o veiculo da diretora da escola que estava estacionado no local.

O bisonho ainda teria tentado evadir-se do local no que foi contido por populares, identificado e conduzido para delegacia onde poderá responder por dano material e invasão.
Muito estranha tal atitude.

Obviamente, a presença de qualquer vereador em repartições publicas  sempre é bem vinda e faz parte do trabalho de fiscalização do Legislativo. Entretanto, é importante que deva ser feito com respeito e ordem.


Colocar em risco a vida dos alunos, funcionários e demais pessoas é inadmissível por qualquer cidadão, mas em se tratando de um legislador, um homem que lida com a lei, representante do povo é uma atitude deplorável, fruto do desespero de um grupo politico que nada fez em seu mandato e agora busca aparecer de qualquer jeito, mesmo que para isso tenha que romper a barreira do bom senso e da legalidade.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Deputados "Vergonha do Pará" Federais...e a Ética?




Durante a discussão do relatório de cassação do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), os deputados Zé Geraldo (PT-PA) e Wladimir Costa (SD-PA) bateram boca em uma discussão acalorada, na qual Wladimir chamou o colega de

"vagabundo",

 "bandido" e 

"ladrão safado".

"O deputado Wladimir, nem se lavar a boca com soda cáustica durante uma semana, ainda ele não pode falar mal do PT e da presidente Dilma. 

Esse parlamentar no Pará tá mais sujo que pau de galinheiro", afirmou Zé Geraldo.

Ao pedir a palavra para rebater, Wladimir se exaltou: "O senhor é vagabundo, bandido". Zé Geraldo tentou interromper, mas Wladimir continuou: "Cala a tua boca, vagabundo. Você é ladrão safado".

Ao fim da discussão, o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) comentou ironicamente: "Estamos no Conselho de Ética".

Opinião: 
EU SINCERAMENTE ACHO QUE OS DOIS TEM RAZÃO.
UM SOBRE O OUTRO.

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Sobre os aventureiros da política e seus discursos....

Com a aproximação do ano eleitoral o vocabulário nos debates municipais começam a ter o recheio da mentira, da depreciação, do ataque falacioso com aparência de verdade.

Parte da oposição municipal, que surgem somente neste período, de forma sem vergonha (e digo “sem vergonha” não por falta de vocabulário), usa o precioso tempo da para espalhar mentiras, boatos, factoides, calúnias e toda sorte de difamação a fim de causar um impacto sensacionalista na opinião pública.



AVENTUREIROS.

Um pressuposto destes aventureiros da política apodrecida em que tentam vangloriar-se é o seguinte: Se não posso vencer tão somente com a verdade dos fatos e com a coerência entre o caráter e o comportamento público, se não posso convencer os eleitores com o bom argumento, com a ética e o respeito ao próximo, então, terei que vencer com a mentira, a fim de desconstruir e deformar publicamente a imagem do adversário político.

RAPOSAS EM PENAS DE FRANGO.

Afinal, para estas “raposas em penas de frango” do poder “os fins justificam os meios”, sem se importar que para atingir os fins os meios sejam inescrupulosos. A questão ai não é a velha ou a nova política. A questão é que as “raposas em penas de frangos” são velhas e querem circular sempre em redor do galinheiro para engordarem-se das benesses do poder. Urge mudar os políticos!
O que deve ser a avaliar é que para estas “raposas em penas de frangos” vender a imagem de serem estes os construtores de uma cidade pautada na ética, na verdade e na justiça não passa de uma hipocrisia. São estes os verdadeiros atores e atrizes da política.

CONSIDERAÇÕES
Feito estas considerações preliminares, quero fazer algumas ponderações a respeito dos partidários desta política da sujeira. 

O CARÁTER É MAIS FORTE
Primeira, pode-se no afã de conquistar o poder desconstruir, deformar, confundir e até destruir a imagem de um candidato, mas ninguém destrói ou desconstrói o caráter bem firmado na verdade, na honestidade e no senso de justiça.

QUEM CONFIA NO QUE É NÃO TEM MEDO.
Em segundo lugar, os que querem trabalhar na política com a filosofia da desconstrução da imagem do outro, via de regra, é porque não tem uma autoimagem que lhe dignifica. Quem tem autoestima, quem valoriza e confia no que é e no que faz, não tem inveja nem medo da imagem do outro.


SABEDORIA ORIENTAL PARA OCIDENTAIS...E ORIENTAIS.

Lembrando as sábias palavras de um dos filósofos chinês de maior influência no mundo – perguntaram a Confúcio o que ele faria se tivesse que governar um país.
Respondeu: “Seria evidentemente corrigir a linguagem”. Surpresos com a resposta, seus interlocutores indagaram-lhe o porquê. Então ele deu a seguinte resposta:
- “Se a linguagem não for correta, o que se diz não é o que se pretende dizer; se o que se diz não é o que se pretende dizer, o que deve ser feito deixe de ser feito; se o que deve ser feito deixa de ser feito, a moral e as artes decaem; se a moral e as artes decaem, a Justiça desbarata-se; se a Justiça desbarata, as pessoas ficam entregues ao desamparo e à confusão. Não pode, portanto, haver arbitrariedade no que se diz. É isso que importa, acima de tudo”

POR UMA POLÍTICA SEM "TITICA DE GALINHA"

Basta a paisagem de desolação e tristeza a cercar-nos!  Criada por esta corja que assumiu o poder desde de 2002.  E que estão juntos com os opositores a nível municipal. Siga o conselho de Confúcio senhor candidato, siga os ensinamentos orientais. Corrija a linguagem! Corrija seus assessores !! Corrija a si mesmos.  Faça da politica e do período eleitoral um debate de ideias e propostas (se as possuir)  de avaliação racional. 

terça-feira, 31 de maio de 2016

Candidato Fantasma.


Época de eleição.

Acredito que não há uma época mais folclórica e prosaica.

Um aspecto peculiar e atual trata dos ditos "Candidatos Fantasmas" referindo àqueles de aparição breve, que poucos vêem, especificamente em época de eleição.


Fantasmas e Turistas: São aqueles que aparecem em época de eleição, se candidatam e quando perdem vão passear na China.

Idealistas Fantasmas: São os nobéis da teoria não praticável. Que no ano eleitoral aparecem com suas ideologias furtivas e pouco plausíveis.

Fantasmas-Fantasmas: São aqueles que já morreram politicamente, são apenas fantasmas do que já foram, mas ainda insistem em voltar. Só que o povo não vota....neles. 







sexta-feira, 13 de maio de 2016

Frango no Asfalto



Frango de granja, criado no carpete, não entende nada de lama, nunca pisou na lama, agora fica indignado?
Fala sério comigo.


terça-feira, 10 de maio de 2016

Uma história sobre Sun-tzu e liderança

Esta história é narrada por Sssu-ma Ch`ien em um dos primeiros textos sobre Sun Tzu a serem traduzidos para o ocidente:

Sun Tzu Wu era nativo do estado de Ch`i. Sua "Arte da guerra" chamou a atenção de Ho Lu, rei de Wu.

Disse-lhe Ho Lu: "Eu li cuidadosamente seus 13 capítulos. Poderia submeter sua teoria de gerência de soldados a um ligeiro teste?"

Sun Tzu respondeu: "Você pode."

Ho Lu perguntou: "O teste pode ser aplicado a mulheres?"

A resposta foi afirmativa. Arranjos foram feitos para que 180 mulheres fossem trazidas do palácio.

Sun Tzu as dividiu em dois pelotões e colocou uma das concubinas favoritas do rei no comando de cada um deles. Ordenou que todas segurassem lanças e disse a elas: "Eu imagino que vocês saibam a diferença entre 'pra frente', 'pra trás', 'esquerda' e 'direita'"?
As garotas responderam: "Sim."

Sun Tzu continuou: "Quando eu disser: "Olhar pra frente" vocês deverão olhar diretamente para frente. Quando eu disser "esquerda, volver" vocês deverão se virar em direção a sua mão esquerda. Quando eu disser "direita, volver", vocês deverão se virar em direção à sua mão direita. Quando eu disser "meia-volta, volver" vocês deverão virar para trás.
Novamente as garotas responderam afirmativamente. Com as palavras de comando devidamente explicadas, ele distribuiu as espadas e machados de batalha para o treinamento. Ao som de tambores, deu a ordem: "Direita, volver!" Mas as garotas apenas gargalharam.

Sun Tzu disse: "Se as ordens não são claras e diretas, se as ordens não são completamente entendidas, então a culpa é do general".
Então ele as treinou novamente e dessa vez deu a ordem "Esquerda, volver!" e mais uma vez as garotas caíram em gargalhadas. Sun Tzu: "Se as ordens não são claras e diretas, se as ordens não são completamente entendidas, o general é o culpado. MAS se suas ordens FOREM CLARAS e os soldados mesmo assim desobedecerem, então a culpa é de seus oficiais."

Isso dito, ordenou que as líderes dos dois pelotões fossem decapitadas. O rei de Wu estava vendo a cena do alto de um pavilhão elevado; quando viu que suas concubinas favoritas estavam prestes a serem executadas, alarmou-se e enviou a seguinte mensagem: "Estamos bastante satisfeitos com a habilidade de nosso general em comandar tropas. Se formos privados dessas duas concubinas, nossa bebida e refeições perderão seu sabor. É nosso desejo que elas não sejam decapitadas"
Sun Tzu respondeu: "Tendo recebido a comissão de Sua Majestade para ser o general de suas forças, há certos comandos que, agindo nesse interesse, estou impossibilitado de aceitar".

As duas líderes foram então decapitadas e imediatamente as duas seguintes foram colocadas como líderes em seus lugares. Os tambores então soaram mais uma vez e as meninas fizeram todas as evoluções, virando para a esquerda e para a direita, marchando para a frente e para trás, ajoelhando e ficando em pé com perfeita sincronia e precisão, sem ousarem emitir um som.

Sun Tzu mandou então um mensageiro para o rei dizendo: "Seus soldados, senhor, estão agora propriamente treinados e disciplinados, prontos para a inspeção de vossa majestade. Poderão ser usados para qualquer fim que vossa soberania desejar; ordene que atravessem o fogo e a água e não desobedecerão".

Mas o rei respondeu: "Que nosso general cesse o treinamento e retorne para o quartel pois nós não temos o desejo de descer e inspecionar as tropas".

Ao que Sun Tzu disse: "O rei aprecia palavras, mas não é capaz de transformá-las em atos concretos".

Ho Lu então viu que Sun Tzu era alguém que sabia como lidar com um exército e finalmente o nomeou general. No Oeste, ele derrotou o estado de Ch`u e avançou até Ying, a capital; ao norte ele espalhou o medo pelos estados de Ch`i e Chin e sua fama entre os príncipes feudais.


E Sun Tzu compartilhou do poder do rei.


Aplicação:
Comandar um exército não é para quem não tem coragem de mandar cortar as cabeças de suas concubinas.
Comandar um exército não é para quem não tem conhecimento de suas "campanhas de Marketing"
Comandar um exército requer liderança....LIDERANÇA. E isso não é genético.

De empresário a político.



 As pessoas teimam em dizer que há uma campanha para diminuir a importância de uma certa empresa em nossa cidade. Discordo, em parte.
Mas deve-se acrescentar que o pré-candidato, que já É o candidato derrotado das ultimas eleições, e que já foi candidato, depois perdeu a vez pro irmão e finalmente (pelo menos por esta semana) ainda é o pré-candidato oficial.

Mas ele é pré candidato de quem? Que grupo ele representa? Que classe social? Que trabalho social já fez em nosso município afim de credenciar-se a uma eleição tão importante?

Pois bem, se o pré-candidato tem dificuldade para responder francamente as perguntas acima, só nos resta então teorizarmos.

Vamos lá...

Em teoria o candidato é o candidato do Pai e patrão dele.

Em teoria o candidato é o candidato da empresa dele.

Em teoria o candidato se diz preparado graças a sua longa experiência empresarial, ou seja, colocou a empresa na política, isso então abre o precedente para esta analise em simbiose candidato-empresa-candidato.

Não se fala do candidato sem falar de sua empresa.
Não se fala da empresa sem falar do empresário-candidato.

Em teoria isso abre todo tipo de discussão.

Uma que eu gostaria de deixar aqui é:

- Trata-se de um politico-empresário ou de um empresário-politico?

Valha-nos quem?

quarta-feira, 16 de março de 2016

Qualquer um pode ser ministro...

De tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantar-se o poder nas mãos dos maus, o homem chega a rir-se da honra, desanimar-se de justiça e ter vergonha de ser honesto.” 

“Vocês querem então eu vou reconhecer esse sindicato (PT). Mas não esqueçam que esse partido chegará ao poder. Lá estando, tudo fará para instituir o “comunismo”. Nesse dia vocês vão querer tirá-lo de lá. E para tirá-lo de lá será a custa de muito sangue. Sangue brasileiro”
Gen. Pres. Figueiredo

segunda-feira, 14 de março de 2016

Lição de sala de Aula...



Qual é a primeira coisa que fazemos em uma sala de aula ? 
1. Certificar-se de que estamos falando para o público certo. Não estamos na sala errada, 2. nem falando para um público diferente daquele previamente definido. Mas aqueles que de antemão frequentam a nossa classe ou palestra.3. O nosso volume de voz é apropriado. 4. E que lá no fundo da sala também somos ouvidos. 5. Nosso vocabulário é decifrável.6.  Que a partir de todos os ângulos a turma possa ver os slides apresentados.

Mas imagine um “professor desatento”. 
Tem um público de 40 pessoas, mas desde o início anuncia que fala apenas para 2. Aqueles 2 são os únicos a receberem seu olhar e sua relevância.
O professor desatento está em apuros. 
Para piorar o cenário, após a aula ou conferência o professor reclama do comportamento da maioria dos participantes. Que ninguém aprendeu nada, que os meninos não estudam, não lêem e bla bla bla.
Eis um professor desatento. 
Trazendo esta experiência para uma certa politica municipal de um empresário que quer ser politico que ainda não entendeu que:
Qualquer mensagem política tem o seu destinatário
Se a comunicação política de um candidato é descoberta, é possível analisar para quem ele está falando. Porque os gestos políticos e a mensagem constroem a imagem do candidato, na percepção daquele a quem é destinada a comunicação.
É verdade que em uma campanha eleitoral que você não pode falar a todo o eleitorado (que seria como o professor que fala também para os vizinhos e até mesmo para todo o bairro). Mas uma coisa é a segmentação e outra é falar a uma minoria restrita e pequena.
Não tendo o contato com o povo e sua diversidade cultural, econômica e social o candidato a politico direciona suas falas de forma mecânica e individual. Falta-lhe experiencia de povo, de gente, de convívio.
Comunica assim que não esta preparado para o que anseia. Ainda bem que temos a opção do trabalho e da experiência que se comunica com o povo através da identificação de suas demandas e do atendimento das mesmas.


segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

De Empresário a Político: Transição difícil - Parte I



Historicamente Santa Izabel do Pará teve, pelo menos nestas ultimas décadas, dois empresários que se tornaram políticos e chegaram ao executivo. Simão e Abreu.

É uma transição difícil pois os empresários não conseguem chegar ao executivo na imensa maioria das vezes.

O que os afasta?

Primeiro podemos analisar que o jogo empresarial exige habilidades especificas que nem sempre são direcionadas para o meio político.

A administração empresarial é fortemente orientada pelo patrimonialismo do empresário. O que ele visa é expandir seus negócios, aumentar seus lucros, seus...seus...seus. Isso faz com que a relação com fornecedores, sócios e principalmente com seus funcionários seja direcionada neste sentido.

Já o administrador publico visa o lucro social, visa a coletividade, seus projetos precisam ouvir e atender diversos interesses e precisa saber falar a linguagem plural para conseguir aprovar seus projetos.

O empresário pode até saber conseguir mercado consumidor com posicionamento agressivo no mercado publicitário. Porém para conseguir votos é preciso ir além, conquistar a confiança.

E quando o dever de casa, digo da empresa, não é feito o problema aumenta. Quando a maioria dos funcionários não aprova o patrão, usa a eleição para lhe mandar um recado: no silêncio das urnas é feito o deposito, contra muitas vezes a exploração da mão de obra, os baixos salários, os assédios.

Outro fator a ser analisado é que nem sempre o bom empresário é um bom gestor público. São formações e habilidades diferenciadas.

Já tivemos casos onde o empresário quebrou a prefeitura por sua ação e quebrou sua empresa por omissão.

O eleitor visto como mercado consumidor pelo empresário também tem seus caprichos e sabe fazer contas e questionamentos:

a) Por que um empresario que fatura milhões mês aceitaria ganhar em 04 anos de mandato o que sua empresa lucra em um dia?

b) Por que deixar de ser comandante, patrão e passar a ser empregado do povo?

c) Qual o interesse não revelado em ser a maior autoridade do município?

Perguntas de quem lê.

* Texto inspirado em um artigo do jornal A opção.

Luiz Santos é Pós-graduado em Gestão Pública pela UFPA.
Gosta de política.
Gosta de perguntar...pois perguntar não ofende e quem tem coragem responde.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Lideranças fecham aliança rumo a 2016.




O Encontro Estadual do PSC realizado no ultimo final de semana  na câmara municipal de castanhal contou com a presença do Prefeito Gilberto Pessoa que consolidou junto ao vice governador e Presidente estadual do PSC  Zequinha Marinho a aliança politica rumo as eleições de 2016.

O Vice Governador destacou a importância do município de Santa Izabel do Pará no cenário politico estadual e em especial da Região Metropolitana de Belém. Destacou a organização do PSC em nossa cidade e reforçou a parceria com o prefeito Gilberto Pessoa.

Gilberto Pessoa ressaltou a importância do apoio do vice-governador ao município assim como dos representantes do PSC no município que comporão a parceria para o embate eleitoral de 2016.

Deve-se destacar na analise deste evento que:
  1. O prefeito não está quieto como afirmam alguns opositores do povo, ele está construindo parcerias com lideranças fortes tanto dentro do município como a nível estadual.
  2. 2.       O presidente do PSC Everaldo Rosa mostra sua liderança local na articulação destas parcerias.
Fotos do: 

 www.portalsantaizabel.net





domingo, 7 de fevereiro de 2016

Sobre Intrigas e fofocas da oposição....


Já há algum tempo a atual gestão municipal tem sido alvo de difamações de um grupo de indivíduos que se intitula como oposição.

Esclareço que sou totalmente a favor da pluralidade e da democracia. E isso, em um Estado Democrático de direito, deve ser usado em favor de discutir melhoras para o nosso município, para a nossa gente. 

E é por respeitar o processo democrático que não nos devemos no calar diante de mentiras, acusações infundadas e desrespeitosas. Insinuações incoerentes e irresponsáveis que em nada agregam na luta pelo progresso de nosso município.

Seria tolice um governo que desalojou tantos interesses, que derrubou anos de desmandos de um grupo que agora quer voltar, seria ingenuidade acharmos que depois de fazer tudo o que foi feito não teríamos oposição.

Esperamos uma oposição, desde que de cunho politico, que trate dos reais interesses da cidade e não uma prática acusatória irresponsável e falaciosa, com objetivos obscuros.

Quem são estes acusadores?

O grupo é formado por pessoas que querem o poder a qualquer custo.
Um grupo que nos últimos anos não participou de nada em beneficio da cidade, que até agora não apresentou nenhuma proposta concreta de oposição. Que tenta suscitar “Dúvidas” a  partir de questões de pouca relevância e acusa sem provas.

Com que objetivos eles agem nas sombras?

Sem propostas. Sem projetos. Sem ter embasamento em suas falácias o que eles acharam para aparecer foi dá atenção à vida pessoal de qualquer membro desta gestão; Dão mais atenção as fofocas do que aos assuntos relevantes para o município;
O que eles querem? Eles querem voltar a agir livremente lesando nossa cidade; querem retomar à “coroa” que o povo retirou de suas cabeças após oito anos de mandando indigesto para nossa gente.
Analise quem são eles: todos ligados a gestão anteriores; todos os que já tiveram sua chance e nada fizeram.  Muitos dos quais saíram da administração publica pela porta dos fundos, outros que responderam ou ainda respondem por seus desmandos.
.
Segundo O Professor Borges da Silveira:
“Na democracia, o papel da oposição é claro: fiscalizar a administração, os atos dos governantes, atuar como agente capaz de aperfeiçoar proposições de governo, ser catalisadora das demandas e insatisfações populares e, de certa forma, ajudar o governo a errar menos e administrar melhor, criticando, apontando equívocos e incongruências, destacando as consequências de desacertos e denunciando erros e omissões

Oposição competente contribui para se alcançar o objetivo da ação política. Além disso, deve ser propositiva e apresentar caminhos diferentes dos atuais para garantir maior eficiência do setor público e possibilitar o constante crescimento.”

A oposição Izabelense não segue esses parâmetros; é sempre contra e faz oposição por oposição, sem linha definida e sem nenhuma coerência.

Acredito que estar ao lado do governo não é apenas apoiar sem questionar ou contestar, assim como ser oposição não é somente ser contra, mas sim debater e também contribuir.
Esta dita oposição izabelense mostra-se cada vez mais sem critérios e sem linha definida. 

O que em minha visão, não é ruim apenas para nosso município, mas acima de tudo para a democracia.

Faz-se necessário manter-se o foco em nosso município e em suas potencialidades, pois é isso que nosso povo quer e precisa.

Respeito ás famílias.

Respeito ao processo democrático.

Vamos discutir propostas e projetos para nossa cidade....pois quem tem ideias debate ideias, quem não tem ideias ataca pessoas !!!





quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Três coisas que a oposição não tem...


1. Trabalho para mostrar ao povo. Não ha trabalho social, não há projetos feitos, não há nada...

2. Liderança. Não há uma liderança para comandar os quatro gatos pingados da oposição. Será o filho A ou o Filho B? o grande chefe touro sentado ainda não decidiu.

3. Oposição. A oposição não tem oposição. Os ditos defensores das redes sociais não sabem quem defender...e quando defendem não sabem o que fazem.

Todo homem tem seu preço...Será?


O Grande Alemão Nietzsche disse : 
"Todo homem tem seu preço, diz a frase. Mas para cada homem existe uma isca que ele não consegue deixar de morder".

O ano de 2016 começou e duas coisas começaram a acontecer no submundo:
BOLSOS ESTÃO SE ENCHENDO, 
CONSCIÊNCIAS ESTÃO SE ESVAZIANDO, o que é triste.
Esclareço que preço está relacionado a cifras ao passo que VALOR está relacionado a dignidade.
O meu trabalho tem preço, o meu apoio tem VALOR.
Vou exemplificar:
Minha mãe cria patos. Patos estes que ela vende principalmente em época do círio. Cada um deles tem um preço mais ou menos definido e se aparecer alguém para compra ele vai variar talvez um pouco pra mais, ou para menos dependendo do choro do freguês, ou da nossa necessidade de fazer dinheiro e assim por diante.
Já o meu apoio. Vamos imaginar que ele fosse muito importante o que o tornaria mais valioso um pouco. Nossos adversários por exemplo acham que não vale nada, já nossos companheiros até que acham que tem algum valor, mas vamos deixar a simpatia de lado e vamos só pensar na importância.
        Pois bem, mesmo o meu apoio sendo muito importante, do lado que eu estou ele não custa nada, já pro outro lado também não vai custar nada pois não tem preço que me leve pra lá. Lá, do jeito que está, não tem dinheiro que me leve. Se aqui, estou de graça, pra lá eu não vou por dinheiro nenhum. Sabe porque, porque lá não estão meus princípios, lá não estão meus valores. Meus princípios não estão no poder, meus valore não estão no dinheiro.

GENTE QUE NÃO SE VALORIZA
Vejo gente que fica se oferecendo me vem a ideia: será que quem compra este apoio reconhece realmente o VALOR destas "mercadorias" ou ele sabe apenas o PREÇO que lhes custou. E para quem ver na política apenas uma fonte de lucros financeiros, seja quem compra ou quem se vende, o preço é sempre levado em conta. E em se tratando de um patrão rico...
Quantos tem vivido essa experiência em nossa sociedade consumista, imediatista e sem tempo para as pessoas. Elas continuam sendo parte do sistema e, se querem sentir-se gente, precisam obedecer as regras de mercado e negociar sua felicidade em alguma locadora, barzinho ou qualquer coisa desse gênero. Encontrar fora o que não existe dentro!

JÁ DECIDIU SE VOCÊ TEM preço OU TEM VALOR?
            Se TEM, preço qual é e se TEM VALOR, qual é também?
Nessa nossa luta, tem muita gente ganhando um fusquinha com o seu preço estipulado, mas com a reputação que esta criando para si, nunca será capaz de comprar um carrão.a.
Companheiro, em toda guerra que existe, sempre tem uma batalha  que simboliza a resistência daquela guerra. Eu poderia citar uma quantidade imensa delas, mas vou poupar o tempo de vocês, trazendo a esta matéria uma batalha que para mim está se tornando o símbolo da resistência da nossa guerra.
Mantenha seu VALOR.



terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Sem novidades na opo$ição. !!!



O ano de 2016 começou faz tempo na politica local. Se por um lado a situação está dando continuidade ao seu trabalho de reconstruir a cidade, abalada por um tsunami que durou oito longos anos,

A dita oposição quer voltar...voltar ao poder...voltar para quê? Defender seus interesses pessoais-políticos-empresariais. 

As peças do tabuleiro começam a se mover...sempre tendo como estrategista o Patrão. Ele quem decide. Decide quem vai ser anunciado como candidato. A hora que ele deve recuar e dar lugar a outro. Que já foi outrora escolhido e depois foi preterido e agora volta a ser o representante do PAItrão.


Os peões do tabuleiro já começam a serem adquiridos, cada um com seu devido preço, uns tão barato que um emprego no baixo escalão do galinheiro já serviu...

Outros já se venderam sem conhecerem o seu valor...pagamento futuro.

Não vejo novidade nesta oposição. Juntando todos é a mesma cara. As mesmas práticas conhecidas do uso do $$$ para inflar carteiras e egos. 

É a politica onde quem saiu esta apoiando o filho do patrão.

O mesmo grupo que menosprezou o desenvolvimento humano nesta cidade, que não investiu em educação, que deixou postos de saúde sem teto, projetos (pagos) e inacabados...bem fazendo o que eles fizeram de melhor: espoliar esta cidade em seu progresso.





100 dias, 100 Nada.

O prefeito de Santa Izabel do Pará, Evandro Watanabe (DEM), completou recentemente cem dias à frente da administração municipal.  ...