quinta-feira, 27 de setembro de 2012

O comício na comunidade do Bairro novo...

Uniu moradores do bairro com moradores dos bairros vizinhos que vieram participar do evento e demonstrar seu apoio ao projeto da coligação “unidos por santa izabel”.
O evento que contou com uma estrutura profissional, deste a parte física e estrutural passando pela atuação da coordenação da campanha que foi impecável.
A caminhada pelas ruas do bairro foi um momento marcante para todos, para mim foi especial, pois a esperança do meu povo se manifestou através de abraços, de bandeiras sendo balançadas, de lágrimas...muitas lágrimas.
Tivemos surpresas em várias casas. Em uma residência a moradora começou a chorar quando viu o Dr. Gilberto e disse: Só o senhor para entender nossa situação e resolver nossos problemas.
Em uma outra casa que estava com bandeiras de outro candidato a prefeito a moradora explicou:  Pessoal, essas bandeiras aqui são por necessidade, nos pagaram para colocar, mas nosso coração é 55.
Dois exemplos típicos da realidade do meu bairro. A primeira demonstra o abandono, que o Dr. Gilberto conheceu em ruas que não são alvos das caminhadas de outros candidatos. A casa simples não possui agua encanada, a coleta do lixo é inexistente e a rua há anos não passa por nenhuma melhoria.
O segundo exemplo mostra a realidade da falta de emprego e renda, que obriga pessoas a demonstrarem um apoio irreal. Colocam a bandeira para ganharem R$ 50 reais, mas não voltam no candidato. Recebem o beneficio por necessidade, mas sabem em quem vão votar.  Essa é a realidade de muitos em nossa cidade que por necessidade financeira demonstram apoiar em quem não irão votar. 
O candidato que paga um cabo eleitoral para colocar bandeiras e este cabo eleitoral convence através do uso de dinheiro estará realmente ajudando o candidato?
Será que o candidato sabe da imoralidade, ilegalidade e inutilidade deste ato?
 O que entendo é que o povo não é bobo. Sabe quem o respeita. Sabe quem quer realmente ajudar o povo e quem quer se aproveitar da miséria alheia como um verme.

Nenhum comentário:

Postar um comentário