segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Debate Improdutivo


Os debates políticos brasileiros, principalmente os televisionados sempre usaram a temática de informar o leitor, mas sabemos que o objetivo principal era a audiência.
Claro que para isso regras de imparcialidade foram estabelecidas no que diz respeito a ordem de perguntas e respostas, sorteios, tempo para responder, direito de réplica e tréplica e acima de tudo.

Sou a favor do debate bem feito, mediado imparcialmente, voltado para apresentação e justificação de idéias e projetos. E é por isso que defendo o NÃO COMPARECIMENTO em debates que não tenham estas características, que não tenham este padrão, que têm como intuito ser o momento de exaltação de um candidato em detrimento de outros, que não seja um momento realmente democrático.

Veja bem, se os organizadores/facilitadores/mediadores já declararam  para quem vão votar, como poderão garantir imparcialidade. Não duvido da ética dos organizadores. Porém, a questão não é somente ser imparcial, mas parecer imparcial. Se os alunos, os candidatos ou qualquer outro ouvinte/participante do debate sabe de que lado estão os organizadores será que estes vão acreditar na credibilidade do evento?

Seria interessante se os professores não entrassem nesta queda de braço ideológica. Se querem desempenhar a missão de informar, educar seus alunos, fazer com que os mesmos ouçam e debatam com os candidatos de uma forma mais construtiva seria muito mais interessante se eles chamassem um candidato de cada vez – por ordem de sorteio, com temas a serem abordados, tempo definido e espaço para os alunos interagirem.

Uma apresentação individual do projeto de cada candidato seria vista como algo muito mais educativo, instrutivo e sem aparência de parcialidade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário