sábado, 25 de agosto de 2012

Uso e abuso de imagens na campanha política

Na idade média só quem sabia escrever era o clero...nobres e reis, com pouquíssimas exceções, eram todos analfabetos...nessa situação, o uso das imagens (não só os santos como também as pinturas, afrescos, etc.) pela igreja era importante para impor e manter a ideologia medieval, tida como divina, a qual era a tradicional divisão estamental (nobreza, clero e servos).
Na atualidade, a imagem tambem tem papel importantissimo, tanto na educação, na mídia, como em praticamente todos os segmentos sociais, devido ao seu poder de reforçar o que queremos comunicar...a imagem tanto constroi como destroi, dependendo do objetivo de quem a usa.
 
Vivemos na era da imagem, da aparência, da valorização do exterior, ou seja, o conteúdo pode nao prestar, mas o que vale, para muitos, é a aparencia
 
Para isso na idade média os defensores da ideologia dominante usavam todos o arsenal intelectual para criar imagens que mantivessem os analfabetos "educados" e "pensando" no que a classe dominante queria. Isso perdurou por uma longa noite que durou mil anos. A idade das trevas.
 
E, como Bacharel e Licenciado em História, eu vejo muitas semelhanças no uso político destas imagens na nossa atual conjuntura política municipal.
 
Pois vejo se não é uso politico de imagens quando eu vejo:
 
Uma foto do Tony Lisboa, de bermuda e chinelo carregando uma Cesta de Açai no ombro;
 
 
Ou

 
 
O Bruno Marques fez de seu blog um vitral medieval, porém se naquela época os vitrais diziam mostrar o caminho do céu, agora essas imagens visam criar uma imagem trabalhada de que seus candidatos são o puro exemplo da perfeição, de interação com a sociedade, fotos que visam criar a imagem do candidato ideal.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário