terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Sobre o ato de falar besteiras e outras brunagens.

Uma das características mais peculiares dos seres humanos é a capacidade de falar besteira. Falar besteira é um ato inerente à espécie e acomete todas as pessoas de todas as classes sociais. Uns mais, outros menos, mas em algum momento, pode ter certeza, o sujeito vai falar alguma besteira.
Esse prosaico ato nos faz mais humanos, mas, se feito em excesso, nos faz humanos mais idiotas do que os nossos pares. Portanto, é bom evitar falar muita bobagem por aí, já que tudo em excesso é ruim. Estou certo ou falando besteira?
Se a gente julgar o índice de popularidade do blog do Bruno Marques
 e a quantidade de besteira que ele fala, estou, obviamente, errado. Antes que algum Brunista venha me esculhambar ou me chamar de blogueiro vendido ou algo do gênero, vou logo dizendo que nessa constatação não vai nenhuma crítica ao seu intelecto, mas uma observação sobre o divertido hábito de falar besteira do nosso blogueiro e como isso tornou-se uma característica extremamente peculiar na sua personalidade pública, quase que uma assinatura indelével em todos as suas postagens.
Nos últimos dias ele postou coisas que me  chamaram atenção...desde elogios ao keko e ao bisonho Galeno, passando por aboboras gigantes, até as viagens do Gilson Freitas para o Sul do País para consultar Oráculos da política (rsrs).

Prefiro achar que não e que o blogueiro só está exercendo o seu sacrossanto direito de falar as besteiras de sempre e que fazem dele o blogueiro que melhor se comunica com os internatuas menos – digamos - “letrados”.

Nosso blogueiro elevou o ato de falar bobagem a categoria de arte, é um artesão da metáfora sem pé e nem cabeça, um escultor de frases toscamente claras, concisas e diretas, um verdadeiro gênio da raça.

Portanto, eu como blogueiro iniciante, vou com calma, porque estou ao lado de um mestre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário