Polícia Militar do Pará é a segunda mais corrupta, diz pesquisa


Segundo dados da Pesquisa Nacional de Vitimização 2012, encomendada pelo Ministério da Justiça e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, o Pará aparece em segundo lugar no ranking dos Estados em que a população afirma já ter sido vítima de extorsão praticada por Policiais Militares.


Das 2.516 pessoas ouvidas no Estado, 133 (5,3%) contaram que já foram surpreendidas por policiais corruptos. No Amapá,considerando a proporção do público ouvido, 5,3% dos entrevistados também disseram que  precisaram abrir a mão para PMs. Segundo o estudo, o Rio de Janeiro lidera o ranking, com 7,2% dos entrevistados assumindo que  foram abordados por policias fora-da-lei.


Segundo a assessoria de comunicação do Ministério da Justiçaos dados se referem a uma pesquisa mais amplaque deverá ser divulgada em cerca de dois meses. O DIÁRIO teve acesso à prévia do estudo. No Brasil, 78 mil pessoas participaram da pesquisa.Dessas, 2.047 (2,6%) contaram que  foram vítimas de extorsão. O Pará responde por 60% dos 220 casos identificados na região Norte. Em âmbito nacional, a pesquisa revela ainda que 61,3% dos entrevistados acreditam que os PMs fazem “vista grossa” à desonestidade dos colegas.



SEM  NA POLÍCIA
Rubis Mendonça, 36 anosfuncionário públicomora em Rurópolis e foi vítima da própria polícia“Comprei um carro e apreenderam falando que ele tava irregular. Não liberaram de jeito nenhumFui atrás do antigo donopeguei o dinheiro de volta e depois ainda liberaram o carro para o cara. Com certezaele vendeu de novo”,contaDepois do episódioRubis assume que perdeu a  nas forças de repressão“Às vezes, o perigo  na própria polícia”fala o aposentado João Olindo, 80 anostem uma opinião diferente“Eles tão trabalhando todo dia pra garantir nossa segurançaTem que ser mais valorizados”diz.



Marco Apolo Santana Leãoadvogado e presidente da Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos(SDDH), espera que o resultado final da pesquisa venha acompanhado de alternativas para diminuir as estatísticas“Políticas como a valorização do trabalho, o resgate da autoestima do pessoalsão medidas que contribuem para que os agentes não pensem em se corromperNós sabemos que não justificamas a situação econômica influencia nessa prática da extorsão”comenta.



PM NÃO RESPONDE
assessoria de imprensa da Polícia Militar do Estado afirma que 100% dos casos levados à Corregedoria Geralda PM são investigados. A assessoria, no entantoexplicou que a PM não se pronunciará até ter acesso à pesquisa na íntegrapor fonte oficialpara avaliar os critérios e parâmetros utilizados no estudo.



Quem quiser denunciar policiais que estejam infringindo a Lei deve ir à sede da Corregedoria-Geral da PM,localizada na Avenida Magalhães Baratanúmero 209, Bloco A, entre 14 de Março e Alcindo Cacela, no antigo prédio da Celpa(FonteDol
OPINIÃO: Particularmente, entendo que é preciso melhorar a imagem que se tem das forças do Estado e acredito que isso perpassa pela melhoria da atuação dos seus componentes. Principalmente os que lidam diretamente com a população.
Dá pra confiar em quem se acha superior ao cidadão? Dá pra confiar em quem entra na periferia(morrendo de medo) e não sabe distinguir bandidos de moradores comuns?
Já disse uma vez que uma polícia que se impõe pela violencia desnecessária não obtém o respeito da população e o que é pior, uma polícia violenta fomenta a guerra junto a criminosos, levando a um embate desnecessário onde morrem inocentes de ambos os lados.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A diferença entre um Estadista e um politico qualquer..

100 dias, 100 Nada.

PUXA SACO: FIGURA DO SUBMUNDO POLITICO.