terça-feira, 14 de abril de 2015

Sobre alienação e esquerdismos...


Eu já tinha conversado com gente alienada, mas os esquerdistas conseguem superar todos eles, pois são pessoas sem um pensamento original, no verdadeiro esquerdista, a cabeça é um simples adorno do corpo.

Se “nos ouve dizer que serve para pensar, julga que estamos loucos”.

Como você vai debater com alguém que só pensa em forminhas?

Como você vai esclarecer alguém que pensa com a cabeça dos outros, convivem com a hipocrisia moral alheia, e ajustam o seu caráter às domesticidades convencionais?

Como você vai informar alguém que olham sempre para o passado, como se tivessem olhos na nuca?

O Esquerdista medíocre na verdade é uma sombra projetada pelas obras marxistas e comunistas, e é essencialmente recorrente não possui originalidade nem no pensar nem no agir, adaptado a viver em rebanho, refletindo as rotinas prejudiciais e os dogmas reconhecidamente úteis para sua domesticação.

Ele julga ser um excelente observador, mas é completamente inábil neste aspecto, pois enquanto se preocupa em vigiar e controlar os passos do outro, repetindo frases morais extraídas de cartilhas partidárias, o mundo se transforma a sua volta.

A liberdade de pensar e agir os cobre de terror e entram em pânico.

A rotina é a súmula destes militontos, pois renunciaram ao hábito de pensar.

Apartados da vida intelectual que lhes repudiaria as atitudes não usam mais o raciocínio, a reflexão, fanatiza-se.


Este é um texto de ficção qualquer coincidência com algum esquerdista que você conhece é mera semelhança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário