sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Quem assiste o horário eleitoral...

De 19 de agosto até 2 de Outubro, em duas edições diárias, o horário eleitoral gratuito estará no ar, Rádio e TV.
Este horário gratuito para os candidatos mas parece que é um peso para os milhões de brasileiros. Goste ou não, pagaremos a conta.
A explicação é simples: como vivemos numa democracia – e a eleição é a melhor forma de exercê-la, pelo voto –, todos são obrigados a pagar por ela.
Em outras palavras, a democracia custa caro, mesmo em se tratando de uma democracia à brasileira que está longe de assegurar, na prática, o que promete no papel.
Por enquanto, falamos no horário eleitoral gratuito que é apenas um dos ingredientes da salada eleitoral. Mas um processo eleitoral envolve mil e uma demandas, doações pros candidatos, mimos e agrados pros senhores e senhoras, e muita logística para que tudo saia a contento.
Em resumo: uma campanha eleitoral é bilionária, e se repete a cada dois anos. 
E o pior dessa história é ter que aturar o maldito horário eleitoral, que se repete de segunda a sábado, de dia e de noite, pelos próximos dois meses. No qual os candidatos vão expor o que bem entenderem e prometer o que jamais vão cumprir. Um nome adequado para isso seria circo eleitoral.
A boa notícia é que o eleitor, do lado de cá, poderá a qualquer momento simplesmente desligar o aparelho de TV ou rádio. E mandar o político espertalhão ir berrar no deserto.
Como o voto aqui é obrigatório e facultativo, e, o cidadão terá que se dirigir no dia 5 de outubro a uma urna (que fica numa zona eleitoral) e votar nos candidatos da sua preferência. Estando fora do seu domicílio, terá que justificar. Do contrário, será multado pela Justiça Eleitoral.
Claro que alguns vão dizer que é preciso assistir, insistir e resistir para poder conhecer os planos, propostas e projetos dos candidatos. Será que dá para conhecer tudo isso no tempo reservado no horário eleitoral?


Enquanto isso na vida real...

No Brasil que não aparece na TV e quando raramente se mostra é uma verdade tão maquiada, tão fictícia (como de fato é) , o problema é que ainda temos que aprender a ver esta história não como verdade absoluta. 
Pois quando faz campanha de quando raramente se mostra, é uma verdade tão maquiada que não parece que é a verdadeira imagem.
Os programas da candidata oficial dela mesma mostra em seu programa eleitoral uma realidade que só existe no dia a dia dos seus marqueteiros, no mundo fantasioso que tentam iludir a população.

Como dizer que a segurança está perfeita se quase não dá pra ouvir o horário eleitoral devido ao barulho de tiroteio.
Como dizer que a miséria está sendo combatida se as casas gradeadas ainda assim são desprotegidas.



100 dias, 100 Nada.

O prefeito de Santa Izabel do Pará, Evandro Watanabe (DEM), completou recentemente cem dias à frente da administração municipal.  ...